O Egito é a prova de que Cristo monopolizou o nosso tempo.  Foram 2020 anos para que se criasse as Américas, e se colonizasse o ocidente. Gosto de dizer que a África também colonizou o ocidente. Um povo colonizado abdica da sua consciência, um povo que coloniza espalha seu povo e sua cultura pra que se multiplique e dure.

O rock’n’roll especificamente foi criado por uma mulher negra e lésbica.

Sister Rosetta Tharpe morreu por não poder ser doce num mundo amargo.

A cultura negra sempre foi a base da criação ocidental.

O negro inventa, o branco registra.

 

– Poesia por Mc Dall Farra:

(...)

QDO C QUER SOMAR NA LUTA

MAS NAO TEM LUGAR DE FALA

NAO EH A MIM Q VC CLAMA PEDE CHORA E RECLAMA

PRA SE SENTIR EM CHAMAS E

DIZER Q TEM AVAL?

NAO EH QUEMETICA TUA CURA

PRA UMA VIDA SEM PASSADO

BA UM BEM ESTAR AFLORADO

PRA UM VIVER APROPRIADO?

EU NAO SOU VARIAS PRA VOCE SER UM?

NAO FIZ TECER PRA VC VESTIR?

EU NAO PLANTEI PRA VC COMER?

NAO INOVEI PRA VC ESTUDAR?

NAO ESCREVI PRA VC ASSINAR?

NAO INVENTEI PRA VC REGISTRAR?

DEPOIS DE GRANDE CE NAO NÃO FOI ME PROCURA

PQ NUNCA LIMPOU NA VIDA E NÃO É AGR QUE VAI LIMPAR?

BRANCO

E EU NÃO SOU UMA MULHER PRETA

E EU NÃO TE MANTENHO VIVO?

Talvez o Egito não tivesse que se preocupar com a religião dos outros. Não tinham que se assegurar de nada para com seu povo, e talvez assim eles tenham durado mais de 5 dinastias.

O povo negro já ocidentalizado parte da Teologia Negra como tentativa de proteção e conscientização dos negros que viviam o Apartheid. Mas essa conscientização usa uma premissa Cristã. Teologia negra seria o Cristianismo negro, que coloca os negros como "enviado de Deus", o deus cristão. Mas como disse Steve Biko, é perigoso achar que adaptando a cultura europeia, se consegue proteger a cultura africana:
 

"Talvez devamos ser um pouco categóricos nesse ponto. Desaconselho totalmente a iniciativa de pessoas de esquerda de ingressarem nas instituições do Apartheid. Ao planejar uma estratégia, muitas vezes temos de tomar conhecimento da força do inimigo. E, até onde posso julgar, todo entre nós que querem lutar no interior do sistema, estao subestimando por completo, a influencia que o sistema exerce sobre nós."

 

A teologia negra pode ter começado num cenário de apartheid, como forma de conceder força aos povos que vivem em terras cristãs. Mas o suceder dessa ideia  de força de caracterização  da cultura africana no mundo ocidental, acabou por descaracterizar  a sua cultura ancestral, a cultura africana.

Podemos ver os resultados no Brasil, o pais que mais foi colonizado por negros no mundo. Por ano, são fundadas em media 14 mil igrejas evangélicas no Brasil, um crescimento do povo cristão que contraria a estimativa da Igreja Católica que diminui 10% de seguidores a cada ano. A igreja Evangélica tem uma estratégia de colocar povos que estão à margem da sociedade, em um grupo que o coloca na sociedade e no mercado de trabalho. Ou seja, uma pessoa que está na rua, sem condições de se quer receber um bolsa família, é adotada pela igreja, posta a trabalhar e incentivada a constituir família.

(DATAFOLHA/IBGE)

Chega a ser assustador. Como que pode um país onde mais da metade do sua população é negra, ter apenas 2% de religião afro-brasileira? É possível que a catequização das culturas nativas tenha continuado por anos depois da independência (suposta independência, uma vez que foi o colonizador que nos deu a independência e continuou morando aqui depois dela).  A panelinha evangélica brasileira, repudia acima de tudo, as religiões afrobrasileiras:

 


 

WhatsApp Image 2020-07-29 at 14.16.15.jp

A lista continuaria, parece ser comum o ataque dos Evangélicos ao terreiros, mas não consegui encontrar nenhum Umbandista atacar uma igreja. Talvez por que a cultura africana não tenha a premissa da imposição:

"(...) Uma pessoa que faz visita a casa da outra, a menos que se trate de um amigo, é sempre recebida com a pergunta ' O que posso fazer por você ? '. Essa atitude de considerar as pessoas não por elas mesmas, mas como agente de uma função especifica, seja contra nós ou ao nosso favor, é estranha para nosso povo. Não somos uma raça desconfiada. (...) Consideramos o fato de vivermos juntos não como um acidente infeliz que justifica uma interminável competição entre os indivíduos (...)" (Steve Biko)

 

 

 

 

Esse povo negro dentro da igreja evangélica, ainda tem um "Baas" branco. Um senhor de poder, que pune quando julgar mau comportamento, que salva quando ganha algo em troca. O que acontece com os negros pobres que entram pra Igreja Evangélica, são que grande parte deles atinge, através dos seus contatos evangélicos, a riqueza financeira. Negros ricos; um perigo pra sociedade branca.

 

Os Estados Unidos sempre deu um jeito de ficar rico com a situação mundial, com os negros não foi diferente. Negros ricos, um perigo pra sociedade branca. No último (acredito que é o último não conferi na serie) episódio da segunda temporada de Atlanta, Earn ganha uma nota de 100 dólares. Mas por ser negro, ele não consegue nem trocar a nota, nem usa-la. Porque pra sociedade, um negro rico, é algo difícil de acreditar. E como o dinheiro na verdade é só a crença num pedaço de papel (ou dado), ninguém acreditou que Earn pudesse ter uma nota de 100 que não fosse falsa, ou roubada.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

WhatsApp Image 2020-07-29 at 14.23.09.jp

Assim como  As Máximas de Ptá-Hotep são consideradas a primeira filosofia de "ordem social", a Bíblia também provê uma "ordem" onde a pessoa recebe um passo-a-passo de como viver e vencer. Pro Evangelismo, a imposição da ideia de Deus nos que não o acreditam, faz com que seus fiéis detenham o seu "poder". Mas o "poder" hoje foi incisivamente atrelado ao dinheiro, à nota de 100. Quando Earn ganha a nota de 100 ele tem o poder de gasta-la no bar, no restaurante chique pra sua namorada. Mas ninguém acredita nele, então seu poder deixa de existir.

Steve Biko previu que só a abolição do Apartheid não traria liberdade, uma vez que não se pensava com o que se fazer com a mão de obra, uma vez libertada. Dos Bantustões às Favelas, hoje o poder pode ser interpretado na Ostentação. O objetivo do poder não é te-lo, mas impo-lo aos outros. Talvez então os negros evangélicos, quando atacam os terreiros, estejam ostentando a sua grande rede de crentes. Talvez seja a ostentação negra para com a sua origem, como que se agora o poder fosse dele, uma vez que antes o seu poder foi tirado para a imposição de outra religião. Síndrome de Estocolmo. "Estou como você" diz Tantão gritando. Os Evangélicos agora estão como os Católicos estavam no período da escravidão.

Quando gravei com Tantão em "Apagão" uma das coisas que eu queria que ele gravasse era:  "No dia que eu te apago te pago". Ele não quis, e rebateu a minha frase dizendo "Eu não pago, eu só te apago". Talvez falte um pouco de Tantão na Teologia negra. Que os evangélicos não tentassem apagar a cultura negra invadindo os terreiros com a palavra de seus "Baas". Que deixassem que os europeus pagassem, e que a cultura branca dentro dos negros ocidentais se apagasse.

Mas a cultura europeia ja foi negra sabiam?

***MATERIA BBC - Por que os humanos que migraram da África para a Europa ficaram brancos há milhares de anos 
https://www.bbc.com/portuguese/internacional-4300845

***TANTÃO E OS FITA - Drama

*** STEVE BIKO - Eu escrevo o que eu quero

http://rapefilosofia.blogspot.com/2014/07/steve-biko-escrevo-o-que-eu-quero.html
 

(nota sobre o livro: o titulo do livro define exatamente o que eu quero pra minha vida: não fazer nada que um Senhor me diz, e sim, o que eu quero.)

Minha luta 

 

             para Elisa Larkin do Nascimento

 

Saibam que minha luta 

Está enraizada nas lutas dos meus avós 

E também saibam que minha luta 

Não é só minha 

É luta de todos nós 

 

Ontem lutaram comigo nos quilombos 

Indios e brancos pobres 

Irmãos explorados  também 

Meu quilombo de hoje 

Não é diferente dos quilombos do passado 

Nas lutas contra injustiça 

Nas lutas contra discriminação 

Ninguém pode ser injustiçado 

Discriminado

 

Quem ame realmente a liberdade 

Quem realmente seja irmão 

Quem tenha realmente amor no peito 

Me dê a mão 

Junte-se à minha voz 

Que meu quilombo de hoje 

É igual aos quilombos do passado

É quilombo de todos os oprimidos

É quilombo de todos os  explorados 

É quilombo aonde todos são bem-vindos

É quilombo de todos nós

Carlos de Assumpção, Não pararei de gritar (2020)

Carlos_de_Assumpo_foto_2_2.jpg
logosescbranco.png

© 2020 por Mirã Design. Criado com Wix.com